Mercado de Trabalho

Júnior, pleno e sênior: qual a diferença entre os perfis profissionais

Por Redação   | 

 Tag: Mercado de Trabalho

Júnior, pleno e sênior: afinal, qual a diferença entre esses perfis de profissionais?

Se você já buscou uma vaga no Linkedin ou em outros sites de emprego, é bem possível que você já tenha se deparado com essas denominações antes. Contudo, é muito comum que nem todos os profissionais saibam diferenciar esses três níveis hierárquicos. 

Os profissionais júnior, pleno e sênior se diferenciam em diversos aspectos, como nos níveis de experiências e responsabilidade, maturidade profissional e complexidade das tarefas que executam. 

No entanto, é importante pontuarmos que não existe um manual para determinar quando um profissional é júnior, pleno ou sênior. Cada empresa possui seus próprios critérios para determinar o perfil para as vagas. Ou seja, essas denominações não seguem um padrão e podem ser muito variáveis. 

Mesmo assim, é possível encontrar alguns critérios em comum entre a maioria das empresas. Neste artigo, vamos explicar a diferença entre júnior, pleno e sênior e como identificar em qual nível profissional você está. 

Confira:

O que significa dizer que um profissional é júnior, pleno ou sênior 
A diferença entre júnior, pleno ou sênior 
Como saber em qual nível profissional eu estou? 
Conclusão

Nova call to action

O que significa dizer que um profissional é júnior, pleno ou sênior 

Júnior, pleno e sênior são denominações utilizadas para demarcar a hierarquia dentro de uma empresa. Essa divisão costuma levar muito em consideração a experiência profissional e o nível de responsabilidade que determinado colaborador vai assumir dentro da instituição.

Os profissionais júnior costumam ser recém-graduados ou no início de carreira, com até cinco anos de experiência profissional, e sem autonomia para tomar decisões na empresa. 

Os profissionais plenos já têm mais maturidade profissional, com seis a nove anos de experiência. Eles executam tarefas mais complexas, mas têm um poder de decisão limitado, já que a palavra final é do seu superior. Além disso, muitas vezes, esses profissionais possuem pós-graduação ou MBA.

Já os profissionais sênior, são aqueles que lideram projetos e equipes, além de ter autonomia para tomar decisões. É um profissional mais experiente, com dez ou mais anos de mercado de trabalho, tendo um alto nível de responsabilidade na empresa.

A seguir, explicamos mais detalhadamente a diferença entre esses perfis profissionais. 

A diferença entre júnior, pleno ou sênior 

Agora que conhecemos um pouco das características dos perfis júnior, pleno e sênior, apresentamos abaixo os principais pontos e diferenças entre essas classificações. Confira: 

Grau de conhecimento e experiência no mercado de trabalho

O grau de conhecimento e o tempo de experiência profissional são os principais parâmetros utilizados para diferenciar os níveis júnior, pleno e sênior. 

Quanto maior o tempo de atuação no mercado de trabalho e maior o nível de especialização, mais chances o profissional tem de assumir um cargo de alta importância na empresa.

  • Júnior: são recém-formados na faculdade e costumam ter no máximo 5 anos de experiência profissional.
  • Pleno: possuem pós-graduação ou MBA e seu nível de experiência pode variar entre 6 a 9 anos.
  • Sênior: assume a função de gestor e líder de equipes e projetos. Por esse motivo, seu nível de experiência no mercado precisa ser altíssimo, superando os 10 anos em muitos casos.

Tempo de casa

O tempo de casa, muitas vezes em função de um plano de carreira, também conta nos degraus entre júnior, pleno, sênior. 

É por isso que muitas empresas apostam no crescimento dos seus profissionais e na evolução deles para que se desenvolvam e passem por todos os níveis: júnior, pleno, sênior.

  • Júnior: são profissionais com pouco tempo de casa e que estão no começo de sua carreira dentro da empresa.
  • Pleno: são profissionais com mais tempo de casa e é possível que tenham sido promovidos na empresa para assumir tal cargo.
  • Sênior: esse profissional é o que tem mais tempo de casa. Até por isso é quem acompanha de perto os processos e o funcionamento da organização e tem um grande poder de decisão para mudar os rumos da empresa. 

Nível de acompanhamento

Profissionais júnior, pleno, sênior têm papéis diferentes dentro de uma empresa, precisando de mais ou menos acompanhamento de suas funções.

Esse esquema de hierarquia também serve para saber a quem recorrer ao pedir conselhos ou sugestões na execução das tarefas.

  • Júnior: é o profissional que mais precisa de orientação para exercer seu trabalho. Suas ações são baseadas no que os superiores e os mais experientes têm a dizer. 
  • Pleno: sua experiência e as competências adquiridas na teoria e na prática da profissão o colocam acima do nível júnior, trainee e estagiário. Contudo, esse profissional costuma ser subordinado a um supervisor, dependendo dele para a tomada de decisões mais estratégicas.
  • Sênior: é o profissional que tem a última palavra e está envolvido em questões de planejamento estratégico da empresa de uma forma geral. Ele coordena projetos, possui uma grande autonomia, lidera equipes e trabalha muito próximo da diretoria da empresa.

Salário

O salário é um dos principais pontos que diferem júnior, pleno, sênior. A variação salarial pode ser de até 50% entre os diferentes perfis.

  • Júnior: possui um salário mais baixo, um degrau acima do trainee. Até porque esse profissional é recém-graduado e a exigência de sua função é menor.
  • Pleno: a exigência técnica e de experiência faz com que o salário desse profissional seja superior ao do Júnior. Muitos inclusive potencializam sua experiência com pós ou MBA.
  • Sênior: muitas vezes abaixo apenas da diretoria ou do cargo master, o sênior é o que possui o maior salário no comparativo. 

Grau de responsabilidade

A complexidade da função e o nível de responsabilidade nas tarefas é outro quesito que diferencia as funções júnior, pleno e sênior. 

  • Júnior: esse profissional assume tarefas mais simples, afinal ainda está aprendendo muito sobre a área. Sendo assim, seu nível de responsabilidade é menor. 
  • Pleno: esses profissionais já têm uma experiência e um conhecimento técnico maior, o que aumenta seu grau de responsabilidade dentro da empresa. 
  • Sênior: esses profissionais têm um grau de responsabilidade muito grande. Afinal, eles são responsáveis por gerenciar projetos e liderar equipes. A autonomia para tomar decisões também eleva seu nível de responsabilidade. 
o-que-significa-dizer-que-um-profissional-e-junior-pleno-e-senior

Como saber em qual nível profissional eu estou? 

Se até no mercado de trabalho essa caracterização não é uma questão fechada, como saber em qual nível hierárquico você se enquadra na hora de elaborar um currículo ou participar de uma entrevista?

Antes de qualquer coisa: não existe fórmula mágica. Se seu cargo atual ou o último que você ocupou era definido como “redator pleno”, por exemplo, é bem possível que você possa usar essa classificação para concorrer a outras vagas. 

Caso seu cargo anterior não tenha essa demarcação, será necessário olhar para sua trajetória profissional e avaliá-la. Para isso, considere seu tempo de profissão, conhecimentos adquiridos, responsabilidades assumidas  e cursos que você tenha feito. Esses parâmetros podem dar um bom norte sobre sua posição profissional. 

Além disso, olhe atentamente a descrição da vaga que você pensa em se candidatar. Veja se você cumpre os requisitos solicitados. Muitas vezes, especialmente no momento de transição de júnior para pleno, pode ser difícil identificar o momento da carreira em que estamos. 

Por isso, também leve em conta se você atende ou não os requisitos da vaga. Não se esqueça que os critérios para definir profissionais júnior, pleno e sênior são variáveis.  

Seja como for, deixe essa definição por conta da própria empresa empregadora. Isso significa que não é fundamental que ela apareça em seu currículo, principalmente quando você não tem certeza sobre o termo correto. 

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre as diferenças entre júnior, pleno e sênior. Se você gosta de conteúdos sobre mercado de trabalho, não deixe de conferir outros textos do Blog do EAD Univille: