Nos últimos anos, aumentaram as oportunidades de acesso ao ensino superior, sendo o Prouni (Programa Universidade para todos) uma das iniciativas mais importantes da atualidade. Apesar disso, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como funciona o Prouni e suas especificidades.

Criado em 2004, a iniciativa vem se consolidando como uma das principais portas de entrada para os estudantes de baixa renda em faculdades privadas, concedendo bolsas de estudo integrais e parciais.

Neste artigo, vamos explicar como funciona o Prouni, o processo de inscrição e seleção, as opções de bolsas e muito mais. Confira!

O que é o Prouni?

O Prouni é um programa criado pelo Governo Federal que busca ampliar o acesso ao ensino superior. O objetivo da iniciativa é ajudar estudantes brasileiros de baixa renda a ingressar em faculdades privadas.

O programa oferece bolsas de estudos para cursos de graduação presenciais e a distância. O público alvo são estudantes que ainda não tenham diploma de nível superior. Também são concedidas bolsas para cursos sequenciais de formação específica.

Os candidatos para as bolsas do Prouni são selecionados a partir da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ou seja, para participar do processo seletivo do Prouni é indispensável realizar o exame.

Os estudantes devem atingir uma pontuação mínima estabelecida pelo MEC (Ministério da Educação) para concorrer às bolsas do Prouni. Além disso, os candidatos têm que cumprir requisitos de escolaridade e renda familiar que conheceremos no tópico a seguir.

istock-537458960_Easy-Resize.com

Quais são os requisitos para participar? 

Para entender como funciona o Prouni, é preciso estar atento aos principais requisitos para participar do programa. Realizar as provas do Enem é o primeiro passo. Afinal, a seleção é feita com base nas notas do exame.

O estudante que deseja concorrer ao Prouni deve ter participado da edição mais recente do Enem. Ou seja, quem busca concorrer às bolsas do Prouni em 2021 tem que ter feito o Enem de 2020.

Os candidatos devem obter a nota mínima de 450 pontos e não podem ter tirado zero na redação do exame.

Além desses critérios relacionados ao Enem, os estudantes devem ter renda familiar de até três salários mínimos por pessoa, não podem ter diploma de ensino superior e têm que satisfazer pelo menos uma das condições abaixo:

Ser aluno de escola pública ou particular com bolsa: um dos critérios estabelecidos pelo MEC é ter cursado o ensino médio em escola da rede pública ou em escola privada com bolsa integral. Estudantes que cursaram o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em escola privada, com bolsa integral, também podem concorrer.

• Ser pessoa com deficiência: nesse caso, a comprovação acontece no momento da matrícula na faculdade. Além dos documentos pessoais e de perfil socioeconômico, o candidato que alegar deficiência deve levar os atestados que comprovem a condição. Lembrando que podem concorrer pessoas com deficiência que cursaram o ensino médio em escolas públicas ou privadas, mesmo sem bolsa integral.

• Ser professor de escola pública de ensino básico: os professores da rede pública também podem concorrer a uma bolsa de estudos do Prouni. Para isso, os docentes devem estar exercendo a profissão e concorrendo a uma vaga em curso de licenciatura ou pedagogia. Neste caso, excepcionalmente, a renda familiar por pessoa não é considerada.

New call-to-action

Inscrição e a seleção: como funciona o Prouni?

Se você fez o Enem e cumpre os requisitos para concorrer às bolsas, é hora de conhecer mais sobre o processo de inscrição e seleção.

As inscrições do Prouni abrem duas vezes ao ano, uma no começo e outra na metade. De acordo com informações do MEC, as inscrições para o segundo semestre de 2021 devem abrir em 13 de julho.

O processo seletivo do Prouni é bem simples e tem apenas uma etapa de inscrição, que é gratuita e feita pela internet. Para participar, o candidato deve acessar a página do Prouni e informar o número de inscrição e senha do Enem.

Depois disso, é preciso preencher as informações solicitadas e escolher duas opções de curso, em ordem de preferência, dentre as disponíveis no sistema.

Ao finalizar a inscrição, é possível acompanhar diariamente a nota de corte (desempenho mínimo necessário) para cada uma das opções de curso. Enquanto as inscrições estiverem abertas, é possível trocar de curso quantas vezes for necessário.

Após a inscrição, a seleção acontece em duas etapas:

1 - O sistema do Prouni classifica os estudantes, de acordo com as suas opções e as notas obtidas no Enem. A partir dessa classificação, são geradas listagens públicas dos estudantes pré-selecionados em cada curso de cada instituição.

2 - Depois do anúncio dos estudantes pré-classificados, as universidades realizam a conferência das informações prestadas pelo candidato. Nessa fase, os estudantes devem comparecer às instuições de ensino com todos documentos que comprovem as informações prestadas em sua ficha de inscrição.

Em relação à documentação, os candidatos pré-selecionados precisam levar uma série de comprovantes. Entre os principais estão documentos de identificação, como RG e CNH, e comprovantes de residência, escolaridade e rendimentos.

Se toda a documentação for aprovada, os estudantes dão início ao processo de matrícula nas universidades.


tiro-medio-mulher-estudando-com-laptop_23-2148294000_Easy-Resize.com

E a lista de espera? 

Como vimos no tópico anterior, após o encerramento do prazo de inscrições do Prouni, o programa classifica os estudantes que obtiveram os melhores resultados. 

Nesse período, o Prouni realiza uma primeira chamada dos pré-classificados. Após esse primeiro momento, ainda acontece uma segunda chamada para o preenchimento das vagas disponíveis.  

Normalmente, mesmo depois dessas duas chamadas, ainda existem vagas que não foram ocupadas. 

Muitas vezes, estudantes pré-classificados não atendem a todos os requisitos do programa ou perdem algum prazo, situação que os desclassifica e faz com que sobrem vagas.   

Assim, é bem comum que o programa abra uma lista de espera.   

Para participar dessa lista, os candidatos interessados devem se inscrever ao final da segunda chamada.  

Além dessas opções, ainda existem as vagas remanescentes. Após as duas chamadas do Prouni (primeira e segunda) e a lista de espera, ainda podem restar algumas bolsas.   

As inscrições para concorrer às bolsas remanescentes acontecem após o encerramento da lista de espera e devem ser feitas pelo site do programa.  

Conheça as opções de bolsas do Prouni 

O Prouni oferece dois tipos de bolsas de estudos - integral e parcial. 

As bolsas integrais são destinadas aos candidatos que têm renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa. Já as parciais, destinam-se aos estudantes que têm renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos por pessoa.  

Ou seja, a renda é fator determinante para conseguir uma bolsa integral ou parcial. Conheça as duas opções:  

Bolsa integral: cobre 100% do valor da mensalidade do curso. 

Bolsa parcial: cobre 50% do valor da mensalidade do curso, cabendo ao aluno arcar com os custos da outra metade.  

Lembrando que a solicitação de bolsa integral ou parcial deve ser informada no momento da inscrição.   

Caso o estudante seja pré-classificado, caberá a ele comprovar que sua renda se encaixa no perfil de bolsa solicitado.  

FIES e Prouni 

Embora o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) também seja voltado para faculdades privadas, a iniciativa possui mecanismos diferentes do Prouni.  

Enquanto o Prouni oferece bolsas de estudos, o FIES é uma forma de financiamento, ajudando estudantes de baixa renda a pagar as mensalidades.   

Para os estudantes que conseguiram bolsas parciais no Prouni, é possível financiar o restante da mensalidade através do FIES. Para isso, é preciso que a faculdade também participe desse programa.  

FIES e Prouni podem ser requeridos ao mesmo tempo, desde que sejam utilizados para pagar o mesmo curso, na mesma instituição em que o estudante tem a bolsa do Prouni.   

É importante lembrar que a soma dos dois benefícios não pode ser superior ao valor dos encargos educacionais, com desconto. 

5dfd30be5cd9f7387a170175bbe215a047bde9cf_Easy-Resize.com

Cotas no Prouni

Assim como outros programas, o Prouni também possui políticas de cotas. Nesse caso, as cotas são reservadas de acordo com critérios de raça/etnia e para pessoas com deficiência. 

As pessoas de baixa renda que não se enquadrem nos grupos mencionados acima participam do processo seletivo do ProUni na modalidade de ampla concorrência.  

O Prouni reserva bolsas às pessoas com deficiência e aos autodeclarados pretos, pardos ou índios. O percentual de bolsas destinadas aos cotistas é proporcional à quantidade de cidadãos dessa população em cada estado, segundo o último censo do IBGE.   

É importante ressaltar que o candidato cotista também deve se enquadrar nos demais requisitos de seleção do programa.  

Conclusão  

Agora que você já sabe como funciona o Prouni, é hora de pensar nos próximos passos para ingressar na graduação.   

Existem diversas universidades, que oferecem bolsas parciais e totais do Prouni, com cursos a distância, o que permite conciliar estudos e trabalho  

Aqui na Univille, possuímos diversos cursos EAD, e seu diploma será o mesmo do presencial.   

Ingressar em um curso EAD é uma ótima forma de impulsionar o seu futuro profissional!  

A Univille é uma instituição de qualidade, com mais de 50 anos de trajetória de ensino e 70 prêmios de excelência.  

Conheça os nossos cursos e encontre o que tem mais a ver com você 

 

New call-to-action

Inscreva-se no nosso Blog

New call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT